Loteamento Nova São José

A campanha deste loteamento diz, a cidade está crescendo pra cá. Será mesmo?

A dias venho acompanhando esta empresa que se denomina sustentável, mas o que dizer de uma empresa que não se preocupa com o meio ambiente,tampouco com as famílias que estão sendo prejudicadas com as obras deste loteamento.

image

A comunidade mostrada acima é o loteamento Zenaide, que fica aos fundos (só mostram a parte boa do negócio), e na parte mais baixa do referido loteamento. A preocupação é generalizada, pois o único córrego que serve para vazão da água da chuva não suportará aos novos moradores.

image

Como tenho muitos amigos que moram neste lugar maravilhoso e sei de muitas famílias prejudicadas e
menos esclarecidas sobre os seus direitos de cidadãos, uso este espaço para manifestar esta preocupação local. Senhora prefeita Adeliana, pouco tempo que estás na gestão da prefeitura já colocaste a casa em ordem. Peço encarecidamente que dês uma urgência para este assunto.

Muito obrigado.

Você tem uma padaria e precisa trocar seus equipamentos?

Tenho em excelente estado todos os equipamentos para uma padaria. Excelente estado de conservação, pois todos tem no máximo 6 meses de uso.
Forno industrial -> Você pode assar as maiores obras de arte feitas antes, dentro deste equipamento à gás.
Freezer para refrigerante -> Com uma capacidade de armazenamento, todos os refrigerantes aqui estarão bem geladinhos e os clientes não vão reclamar de jeito nenhum.
Freezer balcão seco -> Leite, frios, tudo em frios podem ser armazenados aqui.

E mais…
Balcão frio
Balcão caixa
Armario para pão
Balança
Estufa 10 pratos
Fritadeira eletrica
2 Mesa redonda com 4 banquetas

Vamos ao que interessa, R$ 7.000,00 por todos os itens abaixo;
Interessado? Ligue: (48) 8442-5673

O que há com os motoqueiros de Floripa?

Primeiramente quero deixar claro que não é nada pessoal, mas acredito que está faltando um pouco mais de visão do poder público e da própria PRF intensificar a fiscalização.

Todas as manhãs, quando me dirigo ao trabalho no centro de florianópolis, tenho que embarcar em duas vias que estão saturadas pelo trânsito, a BR 101 e a Via-Expressa. Quando você está no meio dela, surge um “MAR” de motoqueiros (entenda: Motoqueiro não é motoclista e motociclista não é motoqueiro, pois o motociclista respeita os demais motoristas e as leis de trânsito), e estes pobres coitados, suicídas, estão pondo em risco a vida das pessoas.

Sinceramente, gostaria de tranquilidade pra poder trabalhar, mas tenho pena desses pobres coitados e vejo todos os dias os montes de amigos que caem na besteira de fazerem “proezas” e andarem a 80km no “corredor”.

TO PENSANDO EM VENDER MINHA MOTO.

A Reputação Corporativa e o Novo Marketing

por Daniel Domeneghetti

A Reputação Corporativa, certamente, assumirá papel central no tsunami estrutural que irá inovar o Marketing como Área ou Departamento.

Não é exagero afirmar, hoje, que as empresas estão forçadas a administrar sua “Conta Corrente Diária de Reputação” (institucional e de suas marcas), que se torna negativa ou positiva em função da resultante da somatória de opiniões, análises, percepções e expectativas que os diversos stakeholders da empresa, geradores de mídia, constroem e reverberam de forma global e instantânea no universo móvel, colaborativo e multicanal parametrizado pela chamada Web Social ou 2.0, sua blogosfera, Sites de Buscas, Redes e Comunidades, Celulares e Smartphones habilitados nas redes, além, é claro, de seu efeito de replicação imediato nas mídias tradicionais, como TV e rádio.

Gerenciar esta conta corrente não é tarefa fácil, assim como não é missão das mais tranqüilas interagir com qualidade e valor com os diversos stakeholders corporativos. Definitivamente as empresas não estão preparadas para isso, seja por conta de mind-set e valores estratégicos corporativos desatualizados, seja por conta de um chassis de processos, sistemas e arquitetura organizacional desajustado do novo ecossistema em que competem.

Entretanto, gerenciar essa conta corrente da Reputação e transformá-la em resultados superiores (vender produtos melhores que os concorrentes para clientes mais fiéis, gerando mais valor ao acionista e market-share para empresa) é tarefa do Novo MKT – O MKT de Contexto, que, em nossa visão, será pautado por 6 pilares estratégicos, somados aos tradicionais conceitos “Ps” historicamente associados ao Marketing. Estes 6 pilares são:

Ao assumir esta postura Customer Centric, as empresas certamente passarão por redefinições de estratégia e convocatórias em seu Marketing.

A equação do Novo Marketing, o MKT rachado pela inovação imposta pelo “mundo exterior”, o MKT/2 é:

MKT de Contexto = MKTReputação X MKTRelacionamento.

Esta equação imporá novas estruturas organizacionais e funcionais, além de novas atribuições, skills, abordagens e métricas específicas.

Esse modelo presume que todas as iniciativas, ferramentas e projetos de marketing sejam organizados estrategicamente, orçamentariamente e em termos de gestão em um nível superior ligado diretamente do centro decisório da empresa, responsáveis por coordenar as duas vertentes distintas e complementares do Novo MKT: o MKTReputação, centrado no branding, organizado em torno da relação dos diversos stakeholders com os atributos e valores das marcas corporativas e de produtos da empresa e o MKTRelacionamento, centrado no suporte a vendas, ligado, em toda extensão do Customer Life Cycle, aos diversos Clusters de Clientes e aos Produtos e Serviços da empresa, que consomem ou podem vir a consumir.

Assim, com o futuro “Diretor” de Reputação ficam atribuições e práticas como Comunicação Corporativa, Branding, Relacionamento com Stakeholders, Patrocínios, Eventos, MKT Cultural, Social, Esportiva, MKT de Causas, etc. Já com o futuro “Diretor de Relacionamento” ficam Propaganda, Promoção, Pré-Venda, Suporte, Pós-Venda, CRM, Call Center, MKT Direto, etc, mesmo que este “Diretor” seja um único “Diretor ou VP”, mas com 2 estruturas apartadas em metas, modelo de gestão e indicadores de performance e valor.

Como todo modelo propositivo, esta estrutura não é definitiva, nem tampouco estática. E cada empresa deve adequar estes conceitos à sua estratégia, setor de atuação, dinâmica de mercados, nível de concorrência e perfil de clientes.

Em nossa visão, uma nova era começa para o Marketing.

Cabe a cada CEO e cada Executivo de Marketing (VP, Diretor, CMO) analisar seus respectivos cenários e tomar suas decisões, acreditando ou não neste cenário que propomos. De qualquer forma, fica o compromisso: em uns 3 anos conversamos novamente… e medimos o quão acertadas foram nossas análises aqui propostas.

Agradecimento

Quero agradecer aqui o excelente número de acessos que tenho obtido, acredito que seja pelo conteúdo relevante. Quero colocar mais de minha pessoa aqui, estou pensando em escrever uma biografia, ainda está no papel, talvez saia um dia.

Como tenho acessos do exterior, vou criar uma página em Inglês, facilitando assim a leitura desse povo.

Ah estou de e-mail novo, koliveira@r7.com, este vocês podem inundar de e-mails, pois o hotmail ainda acho lento em alguns aspectos, mas vai melhorar, eu acho!!?

Beijos

Pra meditar: Continuar a fazer as coisas como sempre foram feitas e esperar que os resultados sejam significativamente diferentes é uma boa definição de insanidade.Albert Einstein

Mais sobre as pulseiras

Esse mundo erotizado anda impressionando até os mais liberalistas… Saiu no Destak: As pulseiras do sexo. Se o título já impressiona, o texto então deixa abismado qualquer pessoa de bom senso. Segundo informa a notícia, no Reino Unido, pulseiras de plástico não são simples acessórios, mas também – e pelo que noticia o diário principalmente – “um código para as suas experiências sexuais, onde cada cor significa um grau de intimidade, desde um abraço até ao sexo propriamente dito”. Informa alhures: “[Os estudantes] andam uns atrás dos outros nos recreios das escolas, na tentativa de rebentar uma das pulseiras”. A finalidade? Conseguir sexo, intimidade sexual etc.

A distorção da sexualidade realmente toma proporções extremas. Agora a pessoa é mesmo objeto sexual. Dependendo da pulseira por ela usada, se torna escrava de um determinado ato que fere não só os princípios morais incutidos por Deus no coração humano, mas também a dignidade da pessoa humana enquanto “imagem e semelhança” (Gn 1, 26) do Pai Celestial. Imagem e semelhança de Deus? Bons tempos aqueles em que as famílias buscavam preservar essa marca nas nossas crianças… Bons tempos aqueles em que nossos jovens buscavam sempre mais praticar a virtude da religião e conservar a pureza e a castidade. Hoje vemos muitos adolescentes – nem todos por vontade própria, é verdade – submetidos à escravidão do pecado desde cedo, se tornando, em suas atitudes e desejos, imagens de inferno, retratos de Satanás.

Essa pulseira do sexo só evidencia algo a que há muito tempo os cristãos já buscavam alertar: os nossos jovens estão se pervertendo! Os tempos se modernizaram sim, de fato. Mas a noção de pecado referente à sexualidade não mudou! O conceito de perversão e escândalo sexual não mudou! A visão sobre a dignidade humana não mudou! Tentar justificar esses atos moralmente condenáveis por trás da faceta da escabrosa expressão “ah, os tempos mudaram” significa que a nossa sociedade sofre não só de um regresso moral – aludimos, com efeito, à ditadura do relativismo, que a Igreja tanto desprezou nos últimos anos – mas também de um problema mental. Pais que não agem diante da corrupção dos filhos, pessoas que destroem a pureza das crianças… Estamos caminhando à ruína.

Entra nesse contexto a doutrina da Igreja sobre a prostituição: “vai contra a dignidade da pessoa que se prostitui, reduzida, assim, ao prazer venéreo que dela se obtém. (…) A prostituição é um flagelo social. Envolve comumente mulheres, mas também homens, crianças ou adolescentes (nestes dois últimos casos, ao pecado soma-se um escândalo)” (Catecismo da Igreja, § 2355). E – brada Jesus – “ai do mundo por causa dos escândalos! Eles são inevitáveis, mas ai do homem que os causa!” (Mt 18, 7). E afirma, em outro versículo: “Se alguém fizer cair em pecado um destes pequenos que crêem em mim, melhor fora que lhe atassem ao pescoço a mó de um moinho e o lançassem no fundo do mar” (Mt 18, 6).

Se ainda existirem pessoas que pensam que isso não é um escândalo, então fiquem sabendo que cada cor de pulseira tem uma simbologia. Transcrevo abaixo um trecho da notícia em que uma menina de 12 anos descreve o significado de cada pulseira:

«A amarela é a melhor porque significa que só se tem de abraçar um rapaz. A laranja significa uma “dentadinha de amor” e a roxa já dá direito a um beijo com língua», explica uma menina de 12 anos ao jornal The Sun. Todavia, à medida que a paleta de cores avança, o nível de intimidade também é maior: «se um rapaz rebentar uma pulseira cor-de-rosa, a rapariga tem de lhe mostrar o peito, se for vermelha tem de lhe fazer uma lap dance e azul é sexo oral», continua. As verdes são as dos «chupões no pescoço».

As pulseiras mais ambicionadas são a preta e a dourada, significando a primeira «ir até ao fim com um rapaz» e a segunda todos os atos descritos anteriormente, do mais inocente ao mais impróprio para a idade. «A douradas são muito raras, por isso se encontrares uma na loja, tens de obrigar a tua mãe a ir comprá-la!», explica.

Então, não é um escândalo, uma imoralidade? Essa notícia é tão desastrosa, tão revoltante que não se pode expressar em palavras o quão grande é esse pecado que envolve a corrupção de jovens e adolescentes e que clama aos céus vingança. Esperamos que os pais e educadores “dêem um jeito” nessa vergonhosa situação. Que ela não mais se repita e que a Virgem Maria interceda por todos esses jovens, para que conheçam a castidade e o pudor.

Graça e paz.

* * *

Atualização: Enquanto falávamos do perigo dessa “moda” pegar aqui em nosso país, eis que me aparece essa trágica notícia: Jovens mostram interesse sexual usando pulseiras. Ah, sim, mas onde? Exatamente, caríssimos, aqui no Brasil. Fiquem de alerta, pais! E oremos por essa Terra de Santa Cruz, tão assolada pelos males da visão pervertida da sexualidade.