O grito e o silêncio

Por certo teriam ficado juntos para sempre. Mas nada era certo na vida da menina. E ele partiu. Aquele amor -que não havia acabado- já não era mais o bastantes para ele. O que faltava era menor, certamente não era amor, amor eles tinham de sobra. Mas era um amor trocado, um amor sozinho. A menina não sabia gritar, não sabia dizer. Ele não queria calar e queria ouvir. O problema era que ele queria sentir e gritar e ela queria calar e sentir. O menino não conhecia o amor calado, amor pra ele era furacão. Então ele achou que não era amor, e partido resolveu partir. Olhou para trás duas vezes, apenas olhou, esperando que ela ao menos chorasse. Não chorou. Enquanto ele ia, ela sentia que devia gritar e chamar por ele. Sabia que se o fizesse ele voltaria. Era o certo a ser feito. Mas nada era certo na vida da menina. E ele partiu.

TEXTO EXTRAÍDO DO BLOG DESALINHO
http://desalinho.wordpress.com/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s